Segurança da Informação

Ξ 1 comentário

Monitoramento Legal ‘?’

publicado por Evandro Ribeiro

Olá, hoje estive conversando com um amigo, temas relacionados ao trabalho, como profissionais de tecnologia, não conseguimos nos desligar, deixar de pensar no trabalho, em como as coisas poderiam ser feitas e melhoradas.

E durante nossa conversa surgiu um tema bastante polemico e controverso, o monitoramento de correio eletrônico.

Falamos sobre os benefícios e malefícios que o monitoramento destes recursos poderiam trazer a organização.

Recursos poderiam ser economizados pois os usuários poderiam utilizar o correio somente quando for realmente necessário , por outro lado a monitoração do recurso , poderia desviar o foco das equipes de segurança e TI, e incidentes mais críticos poderiam deixar de ser atendidos.

Uma decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) reforça a legalidade do monitoramento de contas corporativas de e-mail de funcionários por parte das empresas.

Porem muitas organizações, não disponibilizam uma política clara sobre o uso desta ferramenta de trabalho, e acabam tendo graves problemas. Muitas vezes, funcionários usam seus e-mails corporativos para a realização de atividades pessoais que podem estar sujeitas à riscos de segurança e judiciais.

Tais ações podem sobrecarregar os servidores, disseminar vírus pela rede corporativa ou ainda gerar processos e outras implicações legais para a empresa (em casos de estelionato, por exemplo).

Produtividade
Mas por que a questão da produtividade gera tantas controvérsias?

Na verdade, o problema maior é que os computadores são testemunhas literais, relatam exatamente o que viram, mas fora de contexto.

Por exemplo, há pessoas extremamente produtivas, que em duas horas do dia conseguem executar todas as suas tarefas e ganham tempo para fazer mais pesquisas, o que significa navegar na internet. Já há outras pessoas não tão eficientes que levam muito mais tempo do que esperado para realizar uma tarefa, e muitas vezes, não têm espaço para ler notícias, logo, usam menos os recursos de TI.

Sendo assim, um relatório simples de monitoramento pode gerar uma análise equivocada de produtividade.

Este papel é e deve ser da área de Recursos Humanos e do gestor imediato do profissional, e não da área de Segurança da Informação. Um relatório de monitoramento pode dar muita margem a erros de interpretação e deve ser visto com cautela, devendo ser compartilhado de modo restrito na empresa

Mas voltando ao tema central de nossa discussão, você  como enxerga o tema ?

Qual é a sua percepção sobre este tema, e sua vivencia com os demais colaboradores de sua organização?

 

Até mais.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Analista de Segurança da Informação, 7 anos de experiencia. Graduado em redes de computadores, Pós Graduado em Segurança da Informação. MCP, ISO27002, COBIT 4.1 RISK MANAGER

Evandro Ribeiro

Comentários

1 Comment

  • Essa questão abordada ela é bem polemica mesmo pois usuários comuns divergem sobre as restrições quanto aos que tem que zelar pela segurança da empresa tende a cada x mais restriguirem o uso descontrolado de algumas pessoas que acham que trabalho é lazer e ficam acessando paginas improprias e assim como foi colocado aqui sobrecarregando o sistema que as x já não é o ideal e acaba atrapalhando outros que trabalham com seriedade.
    Tudo é questão de profissionalismo.

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.