Gerência de Projetos

Ξ Deixe um comentário

Lean IT: Os 5 princípios do Pensamento Enxuto aplicados a Tecnologia da Informação

publicado por Douglas Braga

Lean IT Principles

Neste artigo meu objetivo é demonstrar um approach sobre como a mentalidade enxuta pode trazer benefícios para as organizações de TI.

Como surgiu o nome o termo Lean?

Uma filosofia de gestão com foco em eliminar desperdícios e agregar valor. O termo surgiu em 1990 no livro “A Máquina que Mudou o Mundo” de Womack, Jones e Roos. Um estudo sobre a indústria automobilística mundial realizada pelo MIT onde ficou evidente a vantagem do desempenho do Sistema Toyota de Produção.

Princípio 1: Agregar Valor

O primeiro princípio da mentalidade enxuta é definir o que agrega valor para o cliente, seja este cliente interno ou externo. O valor deve ser definido a partir do ponto de vista do Cliente, e não da percepção interna da organização sobre o que é mais ou menos importante para o cliente.

Princípio 2: Identificar o Fluxo de Valor

O segundo princípio significa identificar o Fluxo de Valor. Significa identificar dentro da organização de TI todos os processos e atividades que entregam valor ao cliente distinguindo-os dos demais processos.

  • Grupo 1: Processos e Atividades que agregam valor
  • Grupo 2: Processos e Atividades que não agregam valor mas são importantes
  • Grupo 3: Processos que não agregam valor e não são importantes.

Princípio 3: Garantir o Fluxo Contínuo

O terceiro princípio consiste em garantir a fluidez dos processos e atividades que restaram eliminando os desperdícios. Garantir que os fluxos sejam contínuos, sem interrupções desnecessárias.

Princípio 4: Demanda Puxada

O quarto princípio é a demanda puxada. Na essência, demanda puxada significa inverter o fluxo produtivo executando serviços apenas quando solicitado pelo cliente e/ou pelo processo sub-sequente.

Um exemplo clássico são as fábricas que produzem vários itens de um determinado produto e depois geram uma série de promoções e descontos para poder escoar a produção.

Na demanda puxada, a fábrica só produz os itens que são solicitados, valorizando o produto sem gerar esforços desnecessários de produção.

Em organizações de TI, normalmente o usuário é quem puxa a demanda, porém, nem sempre são produzidos ou comprados apenas os ativos de TI necessários  para atender esta demanda. Apesar desta realidade, algumas organizações de TI produzem funcionalidades, adquirem espaços em disco e licenças de software que não serão utilizados em um curto espaço de tempo.

Princípio 5: Busca pela Perfeição ( Melhoria Contínua )

O quinto princípio é a Busca pela Perfeição. Buscar a perfeição deveria ser um esporte de contato praticado de maneira incansável dentro das organizações. Como sabemos quem nem sempre isto ocorre, a sugestão é criar um sistema ou um modelo de gestão monitore os desperdícios e incentive a melhoria contínua dos processos.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

16+ anos de experiência em TI, ocupando posições estratégicas em organizações nas áreas de Varejo, Seguros, Indústria, Energia, Telecom e Consultoria de TI. Forte experiência em Gestão de TI, Inovação, Transformação Digital, Gestão de Projetos e PMO, Desenvolvimento de Software, Gestão de Budget, Performance de Operação de TI, Parceiros e Contratos. Responsável por um Portfólio de 100+ Projetos, R$ 100 milhões de Budget de TI, 300+ Contratos. Experiência em Inovação e Programas de Redução de Custos de TI, resolução e gerenciamento de Projetos Problemáticos e Projetos de alta complexidade. Liderança de equipes com de 40+ membros. Especialidades: Estratégia de TI / Inovação Digital / Lean IT & Start-up / COBIT / ITIL / PMBOK / CMMI / BSC / Agile / PMO / ERP / Sistemas e Infraestrutura de TI / Liderança e Gestão de Pessoas

Douglas Braga

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.