TI Corporativa

Ξ 2 comentários

Consultorias x Empresas: Relação que precisa amadurecer – Parte 1

publicado por Wander Nardino

Olá, leitores! Peço desculpas pelo atraso no post, mas o importante é que estamos aqui.

Hoje vamos tratar de um assunto que é delicado, todos sabem, comentamos de forma velada, na hora do café, no almoço só que não o encaramos e nada fazemos para mudar a relação entre: Empresa Contratante e Consultoria.

Como prometi, vamos tratar de forma leve os assuntos. Hoje falaremos sobre as Consultorias, semana que vem falaremos das Empresas Contratantes.

Posso falar tranquilamente dos dois papéis, pois trabalhei nos dois lados e senti na pele as dificuldades e necessidades decada um dos lados.

Vou listar aqui o que poderia melhorar muito e refletir nos negócios (nessa parceiria) de forma transparente e salutar:

  • O Gerente de Conta deve estar alinhado com os seus pares dentro de “casa”. Esses negócios de prometer mundos e fundos apenas para garantir a comissão no contrato além de não ser ético não é a solução mais assertiva
  • As consultorias NUNCA devem responder algo sem uma avaliação interna. O “time-to-market” pode custar caro. Decisões colegiadas são sempre as melhores.
  • Existem consultorias (grandes e pequenas) que prometem um tipo de profissional, o colocam nas primeiras duas semanas. Logo após esse profissional é substituído por outro, de qualidade inferior, imaginando que o contratante não percebe. Percebe sim, e tenha certeza que seu contrato não será renovado
  • Se não há um profissional capacitado dentro de sua equipe de consultores, seja claro. Diga que não possui e peça a permissão de juntar-se a um parceiro para atender a necessidade. A verdade é sempre a melhor resposta
  • Elabore uma SWOT Analisis, pois dessa forma estarão claros os riscos e benefícios. O que permite a criação de um plano de mitigação e enxergar-se realmente se a consultoria está fazendo um bom negócio
  • Nessa mesma linha um SOW é obrigatório. É muito simples deixar claro o escopo do trabalho e não apenas as tarefas que vai fazer, mas deixar bem claro as tarefas que não estão cobertas por aquele contrato.
  • Não tente colocar mais profissionais do que seu cliente necessita. Isso causa um desconforto para o profissional alocado e, por conseguinte uma má imagem para a consultoria.
  • Uma das piores coisas que existem é termos profissionais da mesma consultoria que não se conhecem no cliente. Isso passa a impressão de total descontrole e descaso com o profissional.
  • Antes de alocar o profissional numa organização, a consultoria deve fazer um kick-off, um dia é suficiente, onde se passa a cultura da Empresa contratante, as políticas e os valores, os profissionais que lá estão, os desafios, enfim todas as informações possíveis para facilitar o “embarque”.
  • Tenha mensuradores de qualidade dos serviços prestados. O Cobit lhe auxiliará a fazer isso, pois o valor agregado está nisso. O trabalho executado ser feito dentro do escopo e com a qualidade reconhecida
  • Por último e não menos importante está o respeito pelo consultor. Não o trate como um recurso do tipo (impressora, notebook, etc) ele é a alma da sua empresa, se você vende serviços então, ele na verdade é o vosso bem de produção. Faça avaliações, capacite-o em trabalhos em equipe, de feedbacks e principalmente mantenha-o motivado. Promova encontro de consultores mensalmente para que haja uma sinergia e a consultoria possa mostrar o seu valor não apenas no balanço, mas principalmente no seu capital humano.

Pensem nisso na próxima reunião de trabalho, a diferença competitiva pode estar aí!

Opine, divulgue, pergunte.

Ótima semana para todos nós!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Profissional com mais de 20 anos de experiência na área de Sistemas. Formado na Universidade Mackenzie, ITIL e Cobit Certified. Coordenou projetos em empresas de grande Porte como ABB (onde atuou fortemente com Bi e DataWarehouse) e Braskem (onde atuou como Coordenador de BI e Administração de Dados além de participar da implementação do ERP BANN IV.). Foi Professor e coordenador do Curso de Processamento de Dados para escolas técnicas. Já atuou como DBA SQL Server e Oracle, além de Modelagem de dados. É Especialista em Governança SOA. É Arquiteto de Soluções de uma Grande Seguradora onde atua na área de arquitetura de Processos e novas Tecnologias, onde ganhou o prêmio ORACLE BPM Implementation of the Year Award – Latin America 2011. Atualmente é Lider de Frente na implementação de SAP (focado em MIgração e Convivência entre Sistemas Legados). www.twitter.com/wandernardino

Wander Nardino

Comentários

2 Comments

  • ótimo artigo. parabéns.
    Gostei de tudo mas, bastante dessa parte:”Por último e não menos importante está o respeito pelo consultor. Não o trate como um recurso do tipo (impressora, notebook, etc) ele é a alma da sua empresa, se você vende serviços então, ele na verdade é o vosso bem de produção…”
    vivo falando isso aqui, mas, não sou ouvido. Tenho fama de reclamão, rabujento, etc.. Enfim, uma luz ao fim do túnel.
    Abraços,
    Alexandre.

  • Olá Alexandre, grato pelo comentário !
    Continue fazendo o que faz, quem o rotula de reclamão é o verdadeiro incomodado com a situação pois, ou ele não tem coragem de assumir o erro ou não tem competência. Simples assim.
    Ah! E parabéns pela postura !!

    Forte abraço,

    Wander

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes