Gerência de Projetos

Ξ Deixe um comentário

A traição do gerente de projetos

publicado por Fabio Bahia

Figura - A traição do gerente de projetos

O Brasil é um país privilegiado pela beleza de sua gente. A nossa diversidade cultural é um presentão dado a nós, povo brasileiro, que torna o nosso país absurdamente rico em costumes, tradições e até dialetos.

Entretanto, há outra riqueza brasileira que merece destaque neste artigo: a variedade climática!

De norte a sul, atravessamos as quatro estações do ano em um só dia. Do calor de 40ºC, podemos chegar ao frio de temperaturas negativas ainda no mesmo país.

Assim é durante o nosso dia de trabalho.

Onde é possível ter as mesmas sensações apenas por vivenciarmos situações que nos fazem suar de de tanta alegria ou tremer de tanta raiva.

E como esta pode ser uma realidade entre nós, inicio mais um novo artigo. Esperando que vocês leitores interajam como no meu artigo mais lido “A morte do gerente de projeto“.

Ah! Como é bom acordar e sentir o Sol da Primavera tocar em nossa pele, aquecendo nosso corpo e nos preparando para mais um dia de trabalho.

Acordar antes do despertador, ter a mala com o notebook já arrumada (pura motivação) e a lista de atividades para o dia já criada no Google Drive (na famosa nuvem do Google)?

Tudo pronto para sair como o planejado.

O dia transcorre normalmente, as reuniões estavam leves, sabe? Como um dia que se encaixa perfeitamente, a temperatura esquentava como uma mudança de estação do ano e chegamos no Verão, ainda em uma das reuniões.

Discussão acalorada, eu particularmente adoro!

Gestão de conflito entra em prática, você deixa a pessoa falar, anota os pontos importantes, responde os pontos relevantes e outros ficam para quem sabe um próximo debate, às vezes são apenas desabafos ou uma insatisfação com toque de reclamação.

Sabe aquela história do chefe que chega em você e diz:

– Estou preocupado com o João, ele chega tarde e tal, poxa isso vai prejudicá-lo. Em muitas situações, inocentemente, chegamos no João e passamos o recado, né? – João o chefe disse… bla bla bla….

Pronto! Virou fofoca! É a alegria do palhaço, ver o circo pegar fogo em pleno calor do Verão.

Outra lição que aprendi a alguns anos atrás e gostaria de compartilhar com você é sempre fale diretamente com o seu gerente, sem intermediários, uma conversa franca e sincera.

GERENTE: Fulano, o que está acontecendo? Tem algum problema?

EU: Gerente, eu ouvi isto ou aquilo, por favor esclareça os fatos.

Sinceramente, eu já presenciei gerente gaguejar falando que as pessoas entenderam errado ou outros assumirem a responsabilidade da situação, baterem no peito e falar, “Cara você está fazendo merda.” (para esses eu tiro o chapéu! Afinal relacionamento humano tem que ser olho no olho, navalha na carne e depois saímos para tomar uma boa e gelada cerveja!)

Trabalhei em uma empresa como gestor e discutia por horas com a diretoria, no final descobrimos juntos que o ponto não era a melhor solução para a empresa e sim quem dava a melhor solução, quem sabia mais. Pura vaidade!

Agradeço pela influência que recebi da área de humanas, me formei em Psicoterapia entre outras terapias humanas para melhorar minhas habilidades de relacionamento.

Compreender como as pessoas funcionam em grupo faz toda diferença no ambiente corporativo. Exemplo disto é o efeito manada explicado aqui.

E chegamos ao Outono, do nosso dia de trabalho,  e sabe como é, muitas folhas começam a cair das árvores, falta lugar para as pessoas se protegerem do Sol, alguns pássaros, talvez por medo do ambiente hostil passam a atacar o ninho dos outros e neste momento surgem os questionamentos, mas cadê aquela documentação XPTO do projeto Y do ano passado.

Caralho o projeto foi entregue, está assinado, tem aprovação.

** Também escrevi um texto sobre atitudes e comportamento do PMO que funciona, sim ha muita verdade nisto, leia aqui.

É o famoso procurar o pelo em ovo, parece o paredão do big brother.

Carlos foi indicado, pois não encontrou o cronograma do projeto, projeto este que foi entregue e João será indicado por escolha da maioria, ou seja do próprio gerente.

Mesmo quando fazemos TUDO!!! (ou quase tudo) me pergunto: Será o suficiente para líderes com perfil do tipo controlador?

Algumas pessoas são profissionais em desmerecer o trabalho alheio, nunca está bom e ponto. É um tipo de relacionamento tóxico e normalmente acaba de uma forma trágica e grega, como um peça teatral, onde nossos sentimentos são purificados e/ou evacuados e sentimos uma sensação de liberdade e confiança, após gritar, chorar ou se posicionar diante de um problema, e isto é muito bom, pois criamos limites em nossos relacionamentos!

APRENDA A DIZER NÃO

Xiiiii, e como tem gente que não sabe dizer não! Não é verdade?

Após a tragédia grega no Outono, enfim chegamos ao Inverno de nosso dia de trabalho, dia este que começou na Primavera com promessa de muita motivação.

No Inverno a desconfiança gerada pelo paredão estilo Big Brother das 15h da tarde, nos remete a sentimentos de conflito interno e passamos a nos questionar: “Eu mereço passar por isto?”, “Será que esta empresa valoriza o meu trabalho?”, “Devo pedir as contas?” ou “Será que devo mudar de área?”

Durante o Inverno os corações gelados, pelas crises econômicas, somente conseguem enxergar os profissionais como números e tudo se resume a conversas sobre metas, objetivos e entregas.

Você sabe que todos nós devemos enfrentar a crise? Não é? Esse texto se encaixa muito bem para o momento que vivemos na incerteza de nossa economia.

Mas e onde entra a traição do gerente? Ah esta é uma história muito boa, vem comigo?

Em uma dinâmica que participei em uma das grandes corporações que trabalhei fizeram duas perguntas para os participantes:

Primeira pergunta:” Sua mulher lhe trai e você não sabe, como você não sabe, leva uma vida normal e tranquila, mas você é feliz!”

Segunda pergunta:” Sua mulher não lhe trai e você desconfia, você não consegue dormir a noite, segue sua mulher por todos os lados e vive tendo crise de ciúmes, o que piora o relacionamento com sua esposa.”

E ai! Qual opção você escolheria um ou dois?

SER FELIZ!

Bom eu escolhi a número 1, ser feliz! Eu prefiro ser feliz.

As pessoas precisam ser auto gerenciáveis e ter responsabilidade nas suas entregas.

A pessoa com perfil controlador não consegue dormir e pior nunca irá mudar a sua vida para melhor, pois é necessário ter objetivos e metas estabelecidas para que todos saibam o que precisam fazer.

Criar metas e objetivos semanalmente e mudá-los o tempo todo é insano.

A traição do gerente de projetos, é sobre mudança de seu mindset, onde consequentemente irá gerar uma mudança  no seu comportamento na gestão de equipes.

Solte as suas amarras!

Somente com uma relação positiva com seu medo você será feliz.

Se estas palavras fizeram sentido para você, ótimo! Se não fizeram ainda, não tem problema.

Meu real desejo é que tenha uma vida muito mais leve, assim como a minha e Seja Feliz.

Obrigado

Artigos Relacionados

Autor

Fabio Bahia É formado em Administração com Especialização em Engenharia de Software. Possui MBA em Gestão da Qualidade de Projetos. Aos 7 anos de idade pediu um video game e ganhou um computador, ali iniciou na TI através de jogos em basic. Atualmente pesquisa Python, Big Data e Inteligência Artificial.

Fabio Bahia

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Autores

Pesquisar:

Siga-nos!

Patrocínio

Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar

Inscreva-se em nossa Newsletter

Artigos Recentes