Carreira

Ξ Deixe um comentário

Mundo ágil

publicado por Isabela Gayno

Figura - Mundo ágilO mundo depende de software! A avassaladora tecnologia de software “engoliu” e passou a dominar de forma brutal e ágil o mundo, como jamais visto por outro tipo de tecnologia até o momento.

O Software depende de indivíduos! Melhorar o software e encontrar novos usos para ele são duas das maneiras em que nós, corajosos e apaixonados, podemos ajudar a melhorar a vida de muitos indivíduos.

Indivíduo depende de motivação.

Mas o que define a motivação do indivíduo?

Entender a influência da motivação, deve ser o nosso foco principal, dado que muitos de nós desejamos no final das contas, melhorar a vida das pessoas com entrega de software.

Visando a busca em satisfazer o cliente, reduzir burocracia, manter a equipe unida e entregar software com qualidade. O manifesto ágil surge com o propósito de aproximar o humano e o racional, permitindo gerenciar projetos onde todos os integrantes possuem voz ativa e reconhecimento pelas suas realizações.

Como diz Fábio Bahia em seu artigo: “A morte do gerente de projetos” …bonito é falar sou Ágil, desenvolvo para mobile, uso Kanban e entrego Waterfall…”, se podemos afirmar que muitos projetos waterfall nascem mortos, será isto um problema de atitude e comportamento ou de processo?

Como não compararmos a prática waterfall ao ágil? Ou como dizem atualmente “cascágil”.

Métodos tradicionais de desenvolvimento, entre eles waterfall, podem focar na eficiência de um projeto. Porém, utilizar essas técnicas tradicionais de gestão em um projeto de software, em meio a velocidade das mudanças e evolução tecnológica, criam um enorme abismo em problemas de comunicação e pode gerar uma grave falta de sinergia entre pessoas, comprometendo assim os resultados.

O números não mentem, nem para mim e nem para você. Talvez você já conheça esses números de outros artigos.

Pesquisas do “Chaos Report 2015”, informa que 52% dos projetos são entregues com atrasos ou não atendem a necessidade, 29% dos projetos são entregues com sucesso e 19% fracassam.

Se você já fez parte desses 52%, pode sentir-se desesperado, mas não se preocupe!
Sabe por que?

As empresas precisam ser ágeis, adequar-se, responder às mudanças e entregar valor a seus clientes.

E quem entrega?

As pessoas, ou seja, eu e você!

Muitas das grandes consultorias, aquelas que são nossas parceiras de trabalho, conseguiram transformar o ÁGIL em um pacote, a famosa caixinha!

BULLSHIT É QUERER VENDER ÁGIL, SEM SER ÁGIL. “Isto pode ser um sentimento da maioria!”

Quase uma parceria CARACU, conhece aquela cerveja? Eles entram com a cara e nós com o resto!

E este problema, para os mais sábios torna-se simplesmente um grande desafio. De um lado a consultoria com o slogan “Nós vendemos a solução”. Do outro lado nós “Eu entrego a solução”.

Forma-se um “time” para um novo projeto, ou para um projeto existente, composto por “DevOps”, “ScrumMaster”, “P.O”, mas de repente, adotar ágil passa a ser o maior desafio do que propriamente a entrega de software com qualidade e valor.

Muitas organizações nada ou pouco tem de cultura ÁGIL. Muitas pessoas não desejam perder o seu status quo, sair da zona de conforto.

Elas precisam aprender com uma nova cultura, quebrar paradigmas, responder às mudanças necessárias, inovar… e por aí afora.

Então, eis que surge a necessidade de um agente de mudança, um coach, um treinador, são tantos nomes, mas enfim, uma pessoa que entende que o foco inicial deve sempre priorizar o ser humano e ajudá-lo na direção para as metas e objetivos da empresa.

Pois é bem sabido por todos nós, que a falta de colaboração de muitas pessoas das áreas envolvidas é um dos maiores motivos para que o sucesso almejado nunca seja alcançado.

Falamos de confiança entre pessoas, engajamento e motivação.

E isso amigos leitores não se vende!

Simples assim, se conquista.

Não é minha pretensão passar uma receita que diga como um agente de mudanças deve atuar, mas posso afirmar, com segurança, que seu trabalho será facilmente reconhecido caso as pessoas estejam ao seu lado.

Talvez você possa estar pensando com uma afirmação na sua mente. É impossível principalmente quando a cultura organizacional privilegia a manutenção do status quo, ou a tal zona de conforto.

Então, eu afirmo também.

Use de suas habilidades para atuar como agente de mudanças.

É possível, acredite!

Quem sabe começar por assumir responsabilidades que ninguém quer, em especial aquelas que se remetem a pequenas mudanças que muitos falam em seu departamento e até agora não ocorreram.

Desejo então que desenvolva um grande espírito empreendedor naquilo que faz ou pode vir a fazer e uma boa dose de determinação para superar os obstáculos e resistências que podem aparecer até que os seus objetivos sejam alcançados.

Este post encerra-se com uma frase de Heráclito, onde sabiamente disse em (540 a.C.- 470 a.C.): “A única coisa permanente no universo é a mudança”.

É possível ser a mudança que você quer!

Artigos Relacionados

Autor

Atuo como AgileCoach, Facilitadora e Palestrante com foco em gerenciamento das percepções e das emoções, Liderança e Comunicação Interpessoal. Dedicada em ajudar pessoas a expandir recursos mentais para o atingimento de metas para realização como indivíduo e profissionais Pesquisadora sobre Comportamento Humano, Neurociências Cognitiva, Inteligência Múltiplas, Inteligência Emocional, Psicologia Cognitiva e Tecnologia. Formação: - Master e Practitioner em PNL - MBA Neurociência de Aprendizagem - MBA em Marketing Digital e Mídias Sociais. - Pós Graduação em Engenharia de Software. - Graduação em Administração de Empresas. Participei como palestrante no Caipira Ágil – Unicamp, TaSafo – Belem 2015. Com mais de 11 anos de carreira, atuei por uma década na Interlocução de áreas e gerenciamento de expectativa entre stakeholders e desenvolvimento. Responsável pela criação, condução e execução de projetos de desenvolvimento de software. Vivencia de liderança voltada para o engajamento e desenvolvimento de pessoas, sempre favorecendo um ambiente criativo, cooperativo e comprometido para os resultados da empresa. Dedica-se àquilo que chama de efeito multiplicador, como escritora, autora, colunista Ti Especialista, Agile Momentum e blogueira no Administradores. “Conhecimento bom é conhecimento compartilhado”

Isabela Gayno

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Autores

Pesquisar:

Siga-nos!

Patrocínio

Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar

Inscreva-se em nossa Newsletter