Gerência de Projetos

Ξ Deixe um comentário

Falando de Planejamento Estratégico e Gerenciamento de Projetos

publicado por José Diego Mariano de Oliveira Passos

Figura - Falando de Planejamento Estratégico e Gerenciamento de ProjetosQuando se está buscando resultados, seja a curto, médio ou longo prazo, é de grande importância que se tenha formas de realizar medições, controle, planejamento e organização da execução das atividades, e quando a organização já possui uma cultura e possui objetivos claros do que pretende alcançar se torna ainda mais importante estar aninhando essas duas vertentes. Para realizar o controle, planejamento e execução das atividades utiliza-se o gerenciamento de projetos e para atingir os objetivos pré-definidos pela organização é essencial um planejamento estratégico.

Quando o nível de atividade estratégica é utilizado de forma elevada, torna-se recomendável a instalação de um sistema dual de gestão – gestão de processos operacionais e também a gestão de projetos estratégicos (ANSOFF, 1993).

Seguindo esta linha, Beuren (2000) explica que o resultado do planejamento estratégico é o projeto e a implementação dos processos específicos que a empresa usa para levar a cabo suas estratégias, devendo haver a monitoração do desempenho destes processos em termos de objetivos. Seguindo esta linha, Coutinho (2006) descreve que em 70% dos casos em que ocorre o fracasso o seu problema maior está na execução e não na definição das estratégias. Com isso, é possível entender o quão importante o gerenciamento de projetos se faz necessário ao controle da execução das estratégias.

Para Rummler e Brache (1994), qualquer conjunto de critérios para excelência deveria conter a habilidade em adaptar-se e a variável-chave para isso seria o gerenciamento.

De acordo com o guia PMBOK (PMI, 2013), por ser um empreendimento integrado, o gerenciamento de projetos necessita que todos os processos sejam alinhados e ligados de forma apropriada com os outros processos que estejam envolvidos, facilitando assim a comunicação entre eles. Estas necessidades se dão, pelo fato de qualquer alteração em determinados processos poderem afetar um ou vários outros processos correlacionados.

Segundo descreve João Mendes (2006), projetos têm um início e um fim muito bem definidos. Começa-se um projeto para alcançar um conjunto de objetivos e chega-se ao, se tudo ocorrer bem, quando estes objetivos são alcançados. Anormalmente, ele pode ser encerrado porque se acredita que o projeto não será capaz de atingir seus objetivos, ou porque os próprios objetivos da organização mudaram. O que é certo é que a organização tem a intenção de que o projeto eventualmente se encerre, de uma maneira ou outra.

Seguindo a definição exposta é possível entender e identificar algumas características pertencentes à um projeto, como possuir um início e fim definidos e atingir um resultado único ao seu fim. Nesta linha, Ralph Keelling (2002) aponta que, “um projeto é uma máquina de mudança. Ele é concebido quando se percebe a necessidade de progresso. ”.

O planejamento estratégico, por vezes acaba se tornando um fator competitivo de mercado, compreendendo-se assim o quão importante é para que se possa obter uma total eficácia no que tange suprir as necessidades da organização, estando sempre baseado no conhecimento de sua estrutura.

 

Referências:

ANSOFF, H. Igor, McDONNELL, Edward J. Implantando a administração estratégica. 2. ed. São Paulo: Atlas,1993;

BEUREN, I.M. (2000). Gerenciamento da informação: um recurso estratégico no processo de gestão empresarial. 2. ed. São Paulo: Atlas;

COUTINHO, H. L. N. Gestão estratégica de projetos – Um aspecto crítico na execução da estratégia. Curitiba: Revista Mundo, 2006;

RUMMLER, Geary A., BRACHE Alan P.; Melhores Desempenhos das Empresas – Uma abordagem Prática para Transformar as Organizações através da reengenharia, Editora Makron Books, SP, 1994;

PROJECT MANAGENT INSTITUTE, INC. (PMI®). Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK®). 5ª edição. Project Management Institute, Inc. Newtown Square, Pensilvânia, EUA, 2008;

MENDES, João R. B. Gerenciamento de Projetos – Na visão de um gerente de projetos. Editora Ciência Moderna, 2006;

KEELING, Ralph. Gestão de Projetos – Uma abordagem global. Editora Saraiva, 1a edição, 2002;

[Crédito da Imagem: Planejamento Estratégico – ShutterStock]

Artigos Relacionados

Autor

Profissional de TI, formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade Católica de Brasília e cursando pós-graduação em Gerenciamento de projetos. Possui experiência com liderança de equipes, gestão ágil de projetos, análise e levantamento de requisitos de software, elaboração de documentações, desenvolvimento de sistemas e testes de software. Também possui formação em Auditoria Interna da Qualidade (NBR ISO 9001-2008). Desde 2009 trabalha em projetos de sistemas em diversas áreas, tais como gestão de contratos, gestão de planos de saúde, financeiro, auditoria de planos de saúde, gerenciamento logístico, monitoramento terrestre via satélite e celular, entre outros. Atua como articulador no site TI Especialistas (http://www.tiespecialistas.com.br/author/jose-passos/), onde publica artigos periodicamente relacionados à tecnologia, gerenciamento de projetos e liderança.

José Diego Mariano de Oliveira Passos

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Autores

Pesquisar:

Siga-nos!

Patrocínio

Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar

Inscreva-se em nossa Newsletter

Artigos Recentes