Cloud Computing

Ξ Deixe um comentário

Desmistificando a computação em nuvem

publicado por Roni Garcia

Figura - Desmistificando a computação em nuvemMuito se fala em computação em nuvem e seus benefícios como a redução de custos, porém, muitos profissionais de TI não têm a visão exata do que é computação em nuvem, outros acham que o simples fato de colocar seus equipamentos em um datacenter externo já está na nuvem, percebe-se que para muitos a computação em nuvem ainda é um conceito muito obscuro. É preciso entender o que realmente é a computação em nuvem para saber como usufruir de suas vantagens e benefícios.

A computação e a tecnologia estão cada vez mais presentes nos negócios das empresas, estamos na era da informação, onde o conhecimento é o grande diferencial na vida das pessoas e isso tem transformado o mundo e as empresas. E o acesso a essas informações precisa ser imediato.

Os proprietários do negócio querem uma resposta ágil da TI e ao mesmo tempo redução de custo principalmente nesse momento de crise que estamos vivendo, a computação em nuvem vem preencher exatamente esse cenário.

A computação em nuvem é a forma de utilizar as mais variadas aplicações e recursos virtuais via internet, em qualquer lugar e independentemente da plataforma, com a mesma facilidade de tê-las instaladas em nosso próprio computador ou como se esses recursos estivessem dentro de nossas empresas e pagamos apenas pelo que utilizamos.

É comum as empresas de tempos em tempos fazer a renovação de seu parque computacional, ou porque a demanda do negócio exige maior performance ou porque os equipamentos estão obsoletos ou ainda por novos ambientes de negócio, com isso é preciso estimar um crescimento do negócio para os próximos anos e estimar o consumo dos equipamentos em momentos de picos. Para isso tem-se o investimento inicial e a manutenção desse ambiente.

Quando se fala em computação em nuvem você não se faz esse investimento de tempos em tempos em uma infraestrutura nova (servidores, storages, etc), mas se paga apenas pelo que utilizar e em momentos de pico basta aumentar dinamicamente o poder computacional e pagar mais apenas por esse período. Então a computação em nuvem é a forma de se obter os recursos computacionais ou sistemas de TI como serviço.

Geralmente a intervenção do usuário para solicitar os serviços é feita através de um portal onde ele faz todas as alterações e requisições necessárias para atender seu ambiente, sem a necessidade de intervenção humana.

Abaixo foi destacado 5 características principais da computação em nuvem.

  1. Rápida elasticidade: O cliente da computação em nuvem deve ter a possibilidade de aumentar e diminuir os recursos adquiridos de maneira dinâmica sem a necessidade de parada do serviço. Se em determinada semana do mês ou em algum mês do ano o cliente precisa aumentar seu poder computacional para atender a uma demanda especifica e pontual ele deve ter a possibilidade de expandir seus recursos para suprir essa demanda e quando não precisar mais, voltar o ambiente da maneira que estava de forma simples, rápida e quantas vezes for necessário.
  2. Serviço sob demanda: O aspecto serviço sob demanda da computação em nuvem, significa que um consumidor pode usar serviços em nuvem conforme necessário, sem qualquer intervenção humana com o provedor de serviços de nuvem, ou seja o cliente pode adquirir ou cancelar o serviço sem a necessidade de intervenção humana por parte do provedor, todas as intervenções e solicitações são realizadas pelo cliente em um portal do provedor, onde é possível adquirir, expandir, diminuir ou cancelar qualquer produto oferecido pelo provedor.
  3. Medição do serviço: Os serviços devem ser medidos de maneira que seja possível mensurar o custo de cada recurso para então ser faturado para o cliente, que irá pagar apenas pelo que utilizar, por exemplo, tempo de CPU utilizado por mês, capacidade de armazenamento, etc, tudo deve ser precificado e posteriormente faturado de acordo com o consumo.
  4. Pool de recursos: Os provedores de Nuvem devem ter grande capacidade de recursos computacionais para atender a grande demanda dos seus diversos clientes, para isso deve-se utilizar de meios tecnológicos como a virtualização para alocar e realocar de maneira dinâmica parte desses recursos a clientes distintos, garantindo aos requisitos de nível de serviço.
  5. Amplo acesso à rede: Todos esses recursos e serviços oferecidos através da computação em nuvem devem são acessados principalmente pela internet, então tanto o provedor como o cliente devem ter uma banda de rede e internet que atenda a demanda do trafego de dados para o ambiente em questão, outro ponto que caracteriza a computação em nuvem além do acesso pela internet é a grande variação de plataformas de acesso, como tablets, celulares, computadores, etc.

Quando se fala em serviços de nuvem temos basicamente três modelos: software como serviço (SaaS), plataforma como serviço (PaaS) e infraestrutura como serviço (IaaS).

SaaS é o modelo onde os aplicativos são oferecidos como serviço aos clientes que irão acessá-los através da internet, ou seja, o cliente não precisa adquirir as licenças e a infraestrutura que executar o software, ele irá pagar, por exemplo, pelo número de usuários ou de armazenamento que utilizar, um exemplo de SaaS é o office 365 da Microsoft.

PaaS fornece todos os recursos necessários para construir aplicativos e serviços diretamente da Internet, sem precisar baixar ou instalar o software. A plataforma como serviço prove para o cliente os recursos necessários para configurar e implementar aplicativos e serviços sem precisar baixar os softwares, ou seja, o cliente adquire o ambiente onde ele irá configurar e gerenciar o aplicativo ou software que ele precisa, desta forma a administração e atualização do software em muitos casos é feito pelo cliente, diferindo do modelo SaaS, um exemplo de PaaS é  App Engine.

O IaaS fornece o Hardware para o cliente, nessa modalidade o provedor de nuvem não se preocupa com a aplicação, pois fornece apenas a infraestrutura onde essas aplicações serão executadas e armazenadas, ou seja, o cliente “aluga” espaço de armazenamento (disco), processamento (CPU) memória, banda de rede de acordo com a necessidade do seu negócio e a gerencia do sistema operacional, bem como as aplicações são configuradas e gerenciadas pelo próprio cliente.

Cada vez mais o mercado está aderindo a esse novo modelo de computação e por isso é fundamental para todo profissional de TI entender as características e os modelos da computação em nuvem para analisar como utilizá-la para trazer benefícios ao negócio.

Referências Bibliográficas

VELTE, Anthony T.; VELTE, Toby J.; ELSENPETER, Robert. Cloud Computing: Computação em Nuvem – Uma Abordagem Prática. Tradução de Gabriela Mei. Rio de Janeiro: Alta Books. 2013.

Veras, Manoel. Cloud computing: nova arquitetura da TI. Rio de Janeiro: Brasport, 2012.

EMC- Cloud Instructure and Service. Copyright 2011 EMC Corporation.

[Crédito da Imagem: Cloud Computing – ShutterStock]

Artigos Relacionados

Autor

Graduado em Ciências da Computação e MBA em Datacenter e Computação em Nuvem. Atuando há mais de seis anos na área de T.I., atualmente Analista de Infraestrutura na FNC IT onde atua com foco em implementação, consultoria e arquitetura de projetos de infraestrutura de TI.

Roni Garcia

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Autores

Pesquisar:

Siga-nos!

Patrocínio

Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar

TI Especialistas no Twitter