Carreira

Ξ 4 comentários

Casa de ferreiro, espeto de pau

publicado por Mauricio Veneroso

Esse artigo é para você meu amigo. Você mesmo, caro amigo ferreiro. Espeto de pau não né!!!

Infelizmente o que me inspirou nesse artigo foram algumas histórias que cercaram minha vida nos últimos tempos e que acredito que todos nós, direta ou indiretamente devemos ter passado ou conhecido alguém que passou por algo nessa linha.

Trabalhar em TI é essencialmente prestar um serviço e esse serviço está sempre atrelado a uma equação de custo-benefício.

Todo trabalho passou, está passando ou passará por uma fase de orçamento, business plan, análise de riscos e/ou qualquer mecanismo que liste e associe o esforço e o custo versus a qualidade e/ou velocidade para execução de determinado serviço. O famoso SLA (Service Level Agreement).

Você pode estar se perguntando o que isso tem a ver com o título desse artigo?

TUDO.

Esse artigo serve para lembrar que, em nosso trabalho, estamos sempre tão envolvidos de alguma forma na análise de custo-benefício, pautados num SLA, mas que deixamos de fazer isso quando tratamos de nossa vida pessoal.

Um amigo meu, com aproximadamente 30 anos, era uma máquina trabalhando, extremamente agressivo no seu posicionamento na organização e voraz na busca por subir na empresa, inclusive deixando seus compromissos pessoais de lado.  De repente, um AVC fez com que ele parasse para reorganizar sua vida. Teve que ficar internado e passar por fisioterapias diversas. Recuperou-se totalmente e equilibrou um pouco mais a sua vida pessoal versus a profissional.

Outra amiga minha, trabalhou a vida toda. Chegava antes de todo mundo e saia depois de todo mundo, super-amiga dos seguranças da empresa em todos os turnos e também dos taxistas em frente à empresa (que utilizava frequentemente) pois sempre estava no trabalho até tarde. Seu sonho era dar ao máximo para poder se aposentar logo e curtir a vida. Pois é, a aposentadoria dela saiu no final de 2011 e agora ela planejava viajar, curtir a família, descansar. Tudo certo a não ser por terem diagnosticado uma doença grave nela e que está consumindo toda a sua energia. Ela atualmente está lutando para curar-se dela. Estamos torcendo.

Esses dois exemplos servem para te perguntar o seguinte:

Qual é o SLA que você está oferecendo à sua família, à sua vida pessoal?

Trabalhar é importante e gratificante, com certeza. Porém lembre que mesmo que você fique a vida toda na mesma empresa, dentro dela, sua relação com as pessoas vai mudar de uma forma ou de outra.

Mas você, sua vida pessoal e sua família, esses serão sempre os mesmos e acredite em mim quando digo isso: A penalização por infringir qualquer nível de serviço com a sua família, ou com você mesmo é extremamente alta.

Só há suas verdades nessa vida, li numa frase há um tempo:

  1. Todos nós vamos morrer um dia.
  2. Todos nós teremos que fazer pelo menos uma escolha na vida.

Por isso meu amigo, se o tempo de resposta para seus incidentes pessoais está elevado demais, se  a análise de causa raiz dos seus problemas familiares são normalmente inconclusivos e se a gestão de mudanças que você deveria fazer para melhorar sua qualidade de vida está em segundo plano, aqui fica a sugestão:

Revise o nível de serviço que você acordou consigo mesmo.

NÃO USE ESPETO DE PAU!!!

Share Button

Autor

Mauricio Veneroso tem mais de 20 anos de experiência na área de TI sendo mais da metade no mercado de telecomunicações. Trabalhou em diversos projetos de desenvolvimento de sistemas. Nos últimos 5 anos sua atuação tem sido voltada para ITSM atuando como Consultor de TI, estruturando equipes de suporte, níveis de serviço e definindo processos de melhoria contínua redefinindo inclusive metodologias de desenvolvimento de sistemas, participando da elaboração de SoWs, RFPs e RFIs para assegurar transições para os times de produção, suporte e sustentação de sistemas com o menor impacto possível para as áreas usuárias e para os times de suporte.

Mauricio Veneroso

Comentários

4 Comments

  • Veneroso,

    Muito bom. nos faz pensar bastante no que fazemos hoje em dia com nossas vidas, ainda mais neste mundo corporativo cheio de pressões.

    Parabéns pelo texto.

    • Obrigado Claudio.
      A ideia é essa mesmo. Fazer com que reflitamos sobre outras coisas importantes. Abraço

  • O texto está ótimo, mas o titulo não combinou com o conteúdo, ao ler o titulo imaginei que iria comentar as empresas de software que não tem nem “um software” pra controlar suas tarefas e necessidades diarias.

    Eu vivia nesse mundo descrito no texto, felizmente acordei antes do AVC.

    Abs

    • Olá João. Obrigado pelo comentário. Não deixa de ser verdade esse ponto que você colocou. Mas a intenção era mesmo fazer-nos refletir sobre outros valores e não só sobre preocupações, assuntos e atribulações do mundo corporativo. Quem sabe noutro texto podemos tratar desse tema. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Pesquisar:

Publicidade

Social Counters

Google Plus

RSS

   

Leia também

Facebook

Parceiro

LinkedIn

Qualifique-se:

Cursos Online na Área de Informática